Universidade de Vigo
IDIOMA 
PTESGL
Jose Saramago
 

Blog

Conferência inaugural das II Jornadas Internacionais José Saramago 2017

Para a conferência inaugural das II Jornadas Internacionais José Saramago, no dia 4 de dezembro de 2017, às 11h00 na Casa das Campás em Pontevedra, a CJS tem a honra de poder contar com a conceituada saramaguiana Ana Paula Arnaut, na atualidade Diretora do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

Título da conferência:

“A nova H(h)istória de Memorial do Convento”

Resumo:

Construído a partir de três ingredientes fundamentais – as fontes históricas oficias, os registos oficiosos e a capacidade imaginativa do escritor – Memorial do Convento recria o período histórico do reinado de D. João V, compondo uma pauta narrativa em que se substitui o que foi pelo que poderia ter sido. Fazendo coexistir acontecimentos e personagens históricos com acontecimentos e personagens inventados (ou, talvez, não tão inventados quanto se pensa), José Saramago inscreve neste romance os vetores temáticos que, de um modo ou de outro, caracterizam a sua produção ficcional. A saber, a defesa dos fracos e oprimidos; a importância da Mulher; a crítica à religião; ou o poder do Homem que, hereticamente, supera o poder divino, no caso a partir do trânsito narrativo de Baltasar e de Blimunda que, com Bartolomeu Lourenço de Gusmão, formam a feérica santíssima trindade terrestre, destronando o rei e a sua basílica do primeiro plano da narrativa. Sistematicamente pondo em causa a “castidade da História”, para usarmos uma expressão de Roland Barthes, a constante intromissão de juízos valorativos e o recurso a variadas estratégias de construção e de caracterização das personagens, permitem a emergência da ideologia do autor quer de forma direta, pela explícita simpatia para com um determinado signo, quer de modo mais subtil, pela oposição, muitas vezes ironicamente construída, a um outro signo ideologicamente conotado. Para os mais relutantes em aceitar a nova H(h)istória que as páginas de Memorial do Convento propõem, recordamos que “a verdade caminha sempre por seu próprio pé na história, é só dar-lhe tempo, e um dia aparece e declara, Aqui estou, não temos outro remédio senão acreditar nela, vem nua e sai do poço como a música de Domenico Scarlatti”.

Ana Paula dos Santos Duarte Arnaut é doutorada com agregação pela Universidade de Coimbra, onde leciona Literatura Portuguesa Contemporânea. Entre numerosos artigos  em revistas nacionais e internacionais, publicou ainda Memorial do Convento. História, Ficção e Ideologia (1996), Post-Modernismo no Romance Português Contemporâne Fios de Ariadne-Máscaras de Proteu (2002); Homenagem a Cristóvão de Aguiar: 40 anos de vida literária (2005) (org.), José Saramago (2008), Entrevistas com António Lobo Antunes. 1979-2007. Confissões do Trapeiro (ed.) (2008), António Lobo Antunes (2009), António Lobo Antunes: a Crítica na Imprensa. 1980-2010. Cada um Voa como Quer (ed.) (2011). As mulheres na ficção de António Lobo Antunes. (In)variantes do feminino) (2012).

Algumas publicações de Ana Paula Arnaut sobre José Saramago já foram recolhidas na nossa base de dados de Bibliografia Passiva sobre José Saramago (ainda em construção).

Publicado, 24/11/2017


Etiquetas

Jornadas José Saramago
Conferências




Artigos relacionados

"Deus quando quer, não precisa de homens, embora não possa dispensar-se de mulheres"

José Saramago

Facebook Cátedra Jose Saramago Twitter Cátedra Jose Saramago RSS Cátedra Jose Saramago